Processo de Optimização que garante um aumento na faturação para negócios que estão a investir entre 1000€-10.000€ online em 3 meses.

Para conseguirmos atingir estes resultados fantásticos temos de responder a esta grande questão:

O que devemos alterar no site e nas campanhas de marketing para o nº de vendas aumentar?

Sem análise de dados é impossível responder a isto.

Este processo é composto por 7 passos:

  1. Análise Técnica (descobrir problemas de performance)
  2. Análise Heurística (descobrir problemas de usabilidade)
  3. Setup e Análise de Google Analytics e Google Tag Manager
  4. Análise Quantitativa (Mapas de clique, scroll e gravações em vídeo )
  5. Análise Qualitativa (Questionários e polls)
  6. Criação de todas as hipóteses de melhoria
  7. Testar as hipóteses e implementar

Cada etapa está explicada abaixo em detalhe.

Passo #1: Análise Técnica

Antes de fazermos o que quer que seja é fundamental identificarmos se existem problemas técnicos.

Bugs e falhas destroem as conversões do seu site. Será que todas as funcionalidades do site estão a funcionar bem nos dispositivos mais utilizados?

Acha que o seu site funciona na perfeição em termos de funcionalidades e experiência de utilizador em todos os dispositivos e browsers? Provavelmente não.

Estas são as melhorias mais simples que podem gerar imenso dinheiro para a sua empresa rapidamente.

O que vamos fazer:

  • Cross-Browser Testing
  • Cross-Device Testing
  • Taxa de conversão por dispositivo / browser
  • Análise de velocidade

Passo #2: Análise Heurística

Análise heurística é uma avaliação a problemas de usabilidade e relevância do site.

Iremos analisar cada página do seu site com o objectivo de identificar ou descobrir áreas de interesse.

Nas próximas fases do nosso processo de reasearch iremos validar ou invalidar estas descobertas.

A avaliação de cada página passa por os seguintes critérios:

Relevância: A página corresponde ao que o utilizador estava à espera – em termos de conteúdo e design? Como pode corresponder ainda mais?

Clareza: O conteúdo / oferta desta página é o mais claro possível? Como pode ser ainda mais claro ou simples?

Valor: A página está a comunicar valor para o utilizador? Podemos melhorar? Como podemos aumentar a motivação do visitante ?

Fricção: Que elementos nesta página estão a causar dúvidas, hesitações ou incertezas? Como podemos responder a objecções do visitante?

O que vamos fazer:

  • Identificar áreas de interesse em cada página do site
  • Analisar páginas chave por relevância, motivação, fricção e clareza.

Passo #3: Análise de Web Analytics

Analytics é onde está o dinheiro.

Números não enganam, desde que o seu Analytics esteja bem configurado.

Tudo pode e deve ser mensurado no seu site.

Quantas pesssoas carregaram no ‘Adicionar ao Carrinho’?

Quantas pessoas que foram ao checkout não compraram?

Um dos caminhos que queremos que o utilizador faça numa loja online é o seguinte:

– Home > Categoria > Produto > Adicionar ao Carrinho > Checkout
Que % dos seus visitantes está a passar por cada uma destas fases?

Em que fase estão a desistir?

Identificando estes leaks é crucial para o sucesso do seu site!.

Para conseguirmos analisar tudo isto, é crucial medir acções dos seus visitantes:

1. Cliques no ‘Adicionar ao Carrinho’

2. Cliques nos filtros da página de categorias

3. Interacção com menu

4. Utilização de pesquisa do site

5. Compras

6. Inscrições na Newsletter

7. Mensagens de erros ao preencher campos

8. Páginas 404

9. Remover produto do carrinho

etc.

Analytics Health Check

Antes de fazermos tudo isto, temos de fazer um ‘health check’ ao seu Analytics.

95% das contas que já analisámos estão mal configuradas.

Como tomamos decisões baseadas em dados, e não opiniões, temos de ter certeza ABSOLUTA que os seus dados não estão comprometidos.

Uma conta bem configurada permite-nos explorar áreas super interessantes podem ter um grande impacto na sua facturação:

 

1. Performance do funil

2. Conversões por browser

3. Taxa de rejeição por dispositivo

4. Identificar áreas com muito tráfego em que muitas pessoas estão a sair

5. Identificar páginas com muito tráfego com poucas conversões

6. Identificar user flows

7. Analisar comportamos de novos visitantes vs visitantes retornantes

etc.

O que vamos fazer:

  • Analisar implementação do Analytics: garantir que os dados não estão comprometidos.
  • Implementar objectivos para medir KPI’s
  • Identificar leaks

Passo #4: Pesquisa qualitativa / Análise de ‘Mouse Tracking’

Mapas de clique

Os mapas de clique mostram um mapa de calor composto por dados de cliques agregados. O azul é menos cliques e, quando se aproxima dos vermelhos mais quentes, há mais cliques e o maior número de cliques são os pontos brancos e amarelos mais brilhantes.

Mapas de Scroll

Os mapas de scroll são mapas de calor que mostram o quão longe as pessoas se deslocam para baixo numa página. Eles são interessantes porque mostram em que fase da página os seus visitantes tendem a abandonar, e podem ser muito úteis.

Gravações de sessão de visitantes

As gravações de sessão de visitantes permitem gravar em vídeo o que os visitantes fizeram no seu site. É um tipo de teste de utilziador, mas não possui nenhum script e nenhum áudio.

O objectivo é detectar pontos de receio e problemas de usabilidade. Onde é que os seus visitantes não conseguem completar acções? Onde é que eles desistem?

 

Um dos melhores casos para o uso das gravações de sessão é observar como é que os seus visitantes preenchem os formulários. Embora seja possível configurar o rastreamento de eventos no Google Analytics, isso não proporciona o nível de percepção do vídeo. Além disso, se tiver uma página com desempenho mau e não souber a razão, então, poderá assistir os vídeos para descobrir possíveis problemas. Também é interessante ver quão rápido eles lêem as páginas e navegam pelo seu site.

O que vamos fazer:

  • Mapas de Calor e mapas de cliques
  • Mapas de Scroll
  • Gravações de sessão em vídeo

Passo #5: Pesquisa quantitativa

Vamos continuar com o material qualitativo.

O que podemos fazer para mais pessoas para comprarem?

Uma coisa que nos ajuda a descobrir isso são os questionários no site.

Existem duas maneiras de entender os visitantes do seu site:

    1. Exit Surveys (Questionários de saída): aparece um pop-up quando eles estão prestes a sair do seu site.

Exemplo:

    1. On-page Surveys (Inquéritos na página): peça-lhes que preencham uma poll em páginas específicas. (exemplo: no checkout perguntar: Está com dificuldade em perceber algum dos campos?)

Exemplo:

Ambos são úteis.

É crucial ouvir a voz do seu público-alvo, mas que tipo de questões podemos fazer?

Cada página do seu site tem um objectivo, ou seja, o questionário deve ser acerca daquela página específica.

Na página de produto de uma loja online o objectivo é que eles cliquem no ‘Adicionar ao carrinho’ certo?

No checkout é que as pessoas preencham todos os campos.

 

Passo 1: Determinar a acção que queremos que o visitante faça na página

Passo 2: Criar uma questão relacionada com fricção.

 

Por exemplo, se for uma página de produto o objectivo é adicionar ao carrinho.

Uma questão poderia ser:

 

“O que é que está a impedir de adicionar este produto para o carrinho agora?”

O que vamos fazer:

  • Questionários aos visitantes
  • Questionários a clientes actuais
  • Chat Logs
  • Entrevistas

Passo #6: Criação de Hipóteses de melhoria

Nesta fase já temos uma série de dados quantitativos e qualitativos que recolhemos dos passos anteriores.

Já identificámos uma série de problemas, uns maiores que outros.

Iremos priorizar todas estas problemas, criando hipóteses que podem causar um impacto maior na sua facturação.

Quanto melhor for a nossa hipótese, maiores as chances de que nosso tratamento funcione, e de resultar num aumento significativo na sua facturação.

 

Criamos um ficheiro .csv com todas as hipóteses encontradas, exemplo:

Iremos criar dezenas de hipóteses de melhoria para a sua loja online, a tabela acima mostra apenas 2 hipóteses de exemplo.
Neste caso, é provável que a 2º hipótese cause um impacto maior e mais rápido.

É mais fácil de implementar, e tem maior probabilidade de ser melhor que a página original.

Iremos testar esta hipótese, utilizando testes A/B!

O que vamos fazer:

  • Categorizar e Priorizar cada problema em uma hipótese de teste.

Passo #7: Testes A/B

Iremos criar um teste a/b para cada hipótese.

O objectivo deste teste é perceber se a nossa hipótese é cientificamente válida.

Por exemplo, se quisermos testar uma hipótese de uma alteração no checkout fazemos o seguinte:

  • Criamos uma nova versão da página do checkout
  • Dividimos as visitas entre a nova versão e a versão antiga
  • Analisamos qual das páginas gerou mais vendas.

A página que venceu com significancia estatística é a vencedora.

O que é que isto significa?

Significa que a sua facturação acabou de aumentar, porque a nossa hipótese foi válida.

Lembre-se que testamos uma hipótese de cada vez, ou seja, temos mais dezenas de outras para testar que podem aumentar a sua facturação!!

Menu